16.7.14

Ficar Bem

Eu nunca fui do tipo delicada, daquele jeito que anda nas nuvens e sai abraçando todo mundo por aí. Quando alguém me fala que está doente, eu desejo melhoras, simples assim.
Mas com você foi diferente. Eu estava lá, na solidão de sempre, em frente ao computador, escutando Panic! At the disco e xingando meu professor de literatura (que me obrigou a ler Franz Kafka). E de repente meu celular (que só serve para ouvir música), tocou. Eu pulei da cadeira e o livro ridículo do Kafka caiu no chão. Seu nome estava lá, junto com muitas mensagens de minha operadora avisando que meus créditos estavam acabando.
Eu abri a mensagem e vi que você estava doente. Meu coração virou um nó e pela primeira vez na vida eu não desejei melhoras e fui evasiva, eu fiz milhões de perguntas e pedi para você ficar bem.
Eu nunca tinha pedido para alguém ficar bem antes, não de forma tão aberta e desesperada. Eu necessitava que você ficasse bem para poder voltar a respirar normalmente. Eu precisava mais de você ficando bem do que qualquer outra coisa no mundo.
No momento em que percebi que trocaria um pote de arroz doce por você, também percebi que estava apaixonada, porque além de um coração de pedra eu tinha uma fome do tamanho do mundo.
Só que é estranho quando você se apaixona por alguém. No começo pode ser só admiração. Tipo, um garoto que tem bom gosto musical e percebe as mínimas mudanças em você.
Acho que tudo virou uma meleca quando eu estava triste e você pediu para que eu sorrisse, mesmo com aquela dor de garganta horrível, você escreveu uma mensagem de texto:
“So Just smile for me”
Apenas sorria para mim.
Foi essa frase idiota que fez meu coração cair aos seus pés e implorar por um amor que você nunca pode me dar.

Descobri aí que o amor só é bonito nos livros, que no momento em que eu deixei meu coração de pedra derreter, me abri para a dor. Eu quis que você ficasse bem, mas nunca desejei que despedaçasse meu coração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário